Por que você precisa aprender a não ouvir conselhos?

14:27


Já dizia o ditado: se conselho fosse bom era vendido. E é bem isso. Conselhos vem carregados das vivências de quem os dá. A pessoa sempre vai se basear na própria vida, nas suas maiores alegrias e grandes decepções. Aí, bem aí pode ser que você escute e absorva algo de uma maneira tão intensa que esse algo se torne real.

Um conselho talvez te faça desistir do verdadeiro, ou te leve a correr atrás de uma mentira leviana. Um conselho vem carregado de poréns perigosos. Mesmo o melhor deles, com melhor das intenções, está embebido de experiências pessoais que definitivamente vão desencadear em um processo de confusão e expectativas totalmente desnecessárias a realidade.

Não aceite conselhos, não dê conselhos. Converse apenas. Quando estiver muito confuso, olhe pra dentro e busque por repostas apenas no fundo do seu coração. Você até pode conversar com alguém que te escute, mas jamais com alguém que queira interferir no seu caminho por julgar que o conselho dela será melhor do que qualquer outra estrada que você decidir seguir.

As pessoas que mais nos amam, costumam muito gostar ~ até sem querer ~ de dar conselhos. Elas tem tanto medo que a gente sofra o que elas sofreram, ou que a gente enfrente batalhas cruéis, que acabam tentando nos guiar. Não é por mal, mas acredite não ajuda. Olhe pra dentro, entenda que as respostas que você procura, apenas você mesmo pode se dar.

Existe um livro que indico pra todo mundo e, muito provavelmente, vai te ajudar nessa busca  por si mesmo. O título é 'Os Quatro Compromissos', de Don Miguel Ruiz. Eu tinha mesmo me comprometido em falar dessa maravilha aqui no blog. Então vamos lá!

Não quero me estender muito, porque você precisa ler o livro. E isso está bem longe de ser um conselho. É apenas uma indicação de leitura. Você compra o livro; aluga na biblioteca; pede emprestado pro amigo, apenas se quiser, se o teu interior gritar: "leia!!!".

Parece que assumir quatro compromissos na vida é muito pouco, né? Mas é impressionante como essas simples auto-atitudes (ou seja atitudes que fazemos nós mesmos a favor do nosso crescimento pessoal) ajudam a compreender muito coisas do tipo: "se conselho fosse bom era vendido". Pelo menos pra mim, 'Os Quatro Compromissos' são verdadeiras lições de vida.

Vou comentar, brevemente, pois a profundidade de cada item é intrínseca a leitura completa de cada uma das 110 páginas do livro. Parece pouco? Pelo contrário. Te prometo que vai valer a pena!

Vamos aos compromissos:

1. Seja impecável com a sua palavra. Você já parou pra pensar no poder que a palavra tem? No quanto uma palavra "mal-dita" pode ferir, pode traumatizar. Pois é! Abra a boca apenas quando tiver certeza do que está preste a transformar nessa potente arma chamada palavra. "Diga apenas aquilo em que acredita, usando corretamente sua energia".

2. Não leve para o lado pessoal.Quando você entende esse compromisso, acaba por entender muito bem o por que dos conselhos não serem bons. Quando as pessoas se abrem, elas expõe a própria realidade, suas vivências, são elas ali cruas. Não tem nada haver com você. "Aprenda a se tornar imune às opiniões alheias".

3.Não tire conclusões.Precisa dizer mais alguma coisa? Vivemos tentando adivinhar tantos acontecimentos que ainda estão por vir ~ ou não ~, que ainda vamos acabar enloquencedo. Pois bem! "Atenha-se apenas a realidade".

4. Sempre dê o melhor de si.Esse é o que eu mais gosto, principalmente, porque me permite ser humana. Me permite dar o meu melhor sem ter de ser super heroína. Sem ter de acertar sempre. "Faço o seu melhor: nem mais, nem menos".


Prontinho. Agora, vou ficar na torcida pra que seu dia seja iluminado. Olhe pra dentro, e descubra a luz que existe aí mesmo no seu interior. Os dias são chuvosos apenas quando você permite que assim sejam.


Você também vai gostar

0 comentários

rodapé

rodapé

Manda um alô!

Posts recentes

Facebook